SEJAM MUITO BEM VINDOS!

SEJAM MUITO BEM VINDOS!

Se Liga Nessa - Medidas para evitar a gripe suína .Sem abraço,sem beijinho,sem aperto de mão.

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

video

Read more...

INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

quarta-feira, 19 de agosto de 2009



O uso do computador em sala de aula deve ser utilizado como ferramenta para o processo de ensino aprendizagem, e não pode substituir materiais didáticos, como lápis de cor, giz de cera, etc.O professor da educação infantil deve saber utilizar essa ferramenta com cautela, para não transformar as aulas em atividades mecânica e cansativas para as crianças. Alguns softwares para auxiliar o processo motor e cognitivo da criança, os pais ou interessados que quiserem baixar, é só clicar e fazer o download.
Minesebran <-(clik no nome)Minisebran é um conjunto de jogos de aprendizado para crianças de 2 a 6 anos. O programa inclui oito exercícios diferentes, incluindo um exercício de desenho de rabiscos e jogos muito simples que ensinam números, letras e como usar o teclado.
childsplay <- (click no nome)Os desenvolvedores uniram de maneira criativa diversos jogos e passatempos com conceitos educativos. Você vai encontrar jogos da memória tradicionais e outros movidos apenas pelo som, programas de tabuada, quebra-cabeça, relacionamento de sons e imagens, introduções de teclado e jogos que ajudam a desenvolver a escrita.Cada um deles foi desenvolvido para uma faixa etária diferente e você poderá encontrar todas as instruções de cada jogo nas suas informações. A maioria deles irá pontuar os acertos de quem joga e alguns irão se tornando mais difíceis à medida que você avança. Todas as suas opções são baseadas em desenhos e evitam a escrita para facilitar a compreenção pelas crianças.

Smart Panda <- click no nome Uma divertidíssima mistura de jogo de plataformas e educativo de matemática

Ri-Li <- Click no nome Toda criança gosta de brincar com trenzinhos de madeira, brincadeira maravilhosa também para os pais, que podem ficar tranquilos enquanto seu filho exercita criatividade e coordenação motora numa tarefa que pode durar horas.

FONTE:
http://meustrabalhospedagogicos.blogspot.com/
www.informaticaeducativasapucaiadosul.blogspot.com

Read more...

LIVROS ONLINE


Nos links a seguir você encontra livros online, que pode disponibilizar direto no computador para os alunos lerem ou projetar para a turma:
http://www.educar.com.br/v15a/downloads.asp?classe=livros%20infantis&nosm=104

http://picasaweb.google.it/plfonte

http://picasaweb.google.it/projetoeducacaoinfantil

http://picasaweb.google.com.br/LivrinhoInfantil


fonte: www.informaticaeducativasapucaiadosul.blogspot.com




Read more...

PRESENTINHO PRA VOCÊ!



O GNOMO JACINTO



Em algum ponto da floresta,

o pequeno gnomo Jacinto chorava enquanto

conversava com o sábio Gnomo-mestre...

- Quando lembro de tudo o que já me aconteceu

sinto o chão me faltar.

Fico tonto, sabe?

Por que será que sofro tanto?

Será que, por algum motivo,

a Fada da Sorte escolheu caminhos

distantes dos meus?

Será que todos os contratempos a mim

destinados resolveram acontecer de

uma só vez?

Mestre, já não suporto viver assim...

O Gnomo-mestre, que reunia folhas numa

pequena cabaça, olhou para o aprendiz

e disse:

- Meu pequeno Jacinto, percebes

o que acontece com as lágrimas

que derramas?

- Como assim Senhor, eu não compreendo

o que dizes.

Apontando para algumas áreas da mata,

o velho e experiente gnomo respondeu:

- Olha com atenção.

Por todo o caminho espalham-se flores

justamente nos lugares onde tens vertido

teu pranto.

Tuas lágrimas mágicas tem feito brotar



lírios, papoulas e perfumadas alfazemas

nos lugares onde caem.

Jacinto olhou ao redor e falou demonstrando

admiração e um certo aborrecimento:

- Mas então... quer dizer que o meu destino

é sofrer para fazer a floresta se encher de cor

e perfume?

É preciso que meu coração morra

aos poucos para a Natureza

se encher de vida?

Isso não é justo!

Com toda a tranquilidade, o Gnomo-mestre

respondeu:

- Os olhos vêem o que querem ver.

O coraão sente o que quer sentir.

Então é essa a interpretação que fazes?

Se o teu sofrer, meu pequeno, faz brotarem



as flores mais belas, o que poderia então

surgir do teu sorriso luminoso?

Se transformas o verde da floresta num tapete

multicolorido quando choras, o que poderia acontecer

no momento em que espalhasses a alegria?

Não será esse o momento de mudar a semente

que espalhas?

Percebes o poder que tens nas mãos?

A dor cumpre o seu papel e tem sua razão de ser.

Sim, deve ser vista.

Mas os olhos não podem se fixar nela

por muito tempo, senão perdem a chance de ver

o crescimento que ela própria fez acontecer.

As orelhas do gnomo Jacinto se movimentavam

enquanto recebiam as preciosas orientações

do sábio, como se não quisessem deixar escapar

uma única palavra.

Seus olhos, agora mais atentos, notaram que

uma luz começava a brilhar em seu peito.

Teve vontade de sorrir mas estava difícil,

uma vez que sua boca tinha perdido

esse hábito.

Portanto fez um esforço e logo, logo,

seus dentes estavam à mostra.

Foi aí que algo incrível aconteceu:

quanto mais ele ria mais crescia.

Crescia e crescia.

Quem jamais poderia imaginar que Jacinto

era um gigante?

Aquele pequeno gnomo era agora um gigante

grandalhão e sorridente.

Ele continuou rindo e sua risada ecoava

nas montanhas e se transformava em música;

música mágica que curava os passarinhos

feridos e as plantinhas doentes.

De uma hora para outra a floresta era

só brilho e festa.

Jacinto procurou o Gnomo-mestre

para agradecer,

mas não conseguia mais enxergá-lo.

E foi então que, fechando os olhos,

ouviu uma voz que dizia:

- Há e sempre haverá uma forma mais doce

de viver.

O sofrimento, no momento em que é percebido

como sofrimento, já está no ponto derradeiro

da sua função e precisa ser substituído por

uma outra semente.

Agradeça as lágrimas do passado

e diga-lhes adeus.

O momento agora é de focalizar os sorrisos

do futuro.

Há e sempre haverá uma forma mais

doce de viver.

Autor desconhecido

Read more...

OBJETIVOS,PARTICIPANTES DO PROGRAMA E RESPONSABILIDADE

domingo, 2 de agosto de 2009

PROGRAMA FUNDO DO MILÊNIO PARA A PRIMEIRA INFÂNCIA



O Programa FUNDO DO MILÊNIO PARA A PRIMEIRA INFÂNCIA surgiu de uma iniciativa conjunta da Representação da UNESCO no Brasil, Banco Mundial e Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho, com vistas a promover a qualificação em serviço de educadores, coordenadores pedagógicos e profissionais que atuam em creches e pré-escolas comunitárias, filantrópicas e públicas, priorizando aquelas que atendem crianças de 0 a 6 anos de famílias de baixa renda. A partir da instalação de Mesas Educadoras - espaços de trabalho e de aprendizagem permanente dos educadores das instituições alvo para sua qualificação e formação presencial, sob a coordenação de um especialista em educação infantil – viabiliza-se, às instituições de educação infantil, o acesso a materiais pedagógicos, jogos, brinquedos e livros didáticos para subsidiar a prática docente.

Este Programa foi lançado em dezembro de 2003 na cidade de Porto Alegre – RS. Ao longo do período 2003 - 2007, o Programa foi implantado em 12 Municípios nos estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. O Programa capacitou 1010 educadores de 87 Instituições de Educação Infantil e beneficiou 8400 crianças de 0 a 6 anos. Contou com a parceria de 10 empresas gaúchas e catarinenses na qualidade de co-financiadoras e mobilizou cerca de 116 instituições parceiras locais.

Em virtude de o Programa estabelecer uma relação com múltiplos parceiros, permitindo uma perfeita sintonia entre os setores público e privado, a empresa Gerdau e Corsan realizaram novos aportes financeiros, possibilitando a continuidade da Mesa Educadora de Biguaçu até 31/12/2007.

A qualidade da proposta do Programa fez com que a empresa Gerdau investisse na sua continuidade para uma nova edição do Programa, período 2008-2010, reeditando 09 Mesas Educadoras dos estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina e expandindo para os estados de São Paulo e de Minas Gerais, com 06 novas Mesas Educadoras – Araçariguama, Cotia, Guarulhos, São Caetano do Sul, São José dos Campos e Divinópolis, respectivamente.

ASPECTOS INOVADORES:

O Programa Fundo do Milênio para a Primeira Infância inova por:

· apresentar uma nova tecnologia – Mesa Educadora, na qualificação em serviço de profissionais da Educação Infantil;

· apoiar a sua ação na mobilização social, através das parcerias dos setores público e privado, representadas pelos Conselhos Locais;

· contemplar, preferentemente, as Instituições de Educação Infantil (IEIs) comunitárias, filantrópicas e assistenciais, onde se concentra a maior demanda em termos de qualificação;

· reunir educadores, com diferentes funções, das IEIs, enriquecendo e ampliando o olhar sobre o conceito de educador;

· favorecer a parceria dos setores público e privado nas questões da educação infantil, ampliando as possibilidades e partilhando responsabilidades;

· apresentar a Mesa Educadora como uma franquia social importante e com possibilidades de replicação; abrir um espaço aos educadores de formação permanente em serviço e em rede, qualificando as suas práticas e estimulando-os no seu crescimento profissional.

Objetivo

O Programa objetiva promover a melhoria da qualidade da educação infantil ofertada por escolas comunitárias, filantrópicas e públicas, qualificando o atendimento educacional prestado à criança de 0 até 6 anos. Utiliza como principal estratégia a formação permanente em serviço e em rede de seus professores, monitores, serventes, merendeiras, pessoal de apoio administrativo, coordenadores pedagógicos e dirigentes por meio da instalação de Mesas Educadoras.

Os objetivos específicos do Programa são:

  • Aprimorar a qualidade da educação na primeira infância provida por escolas infantis comunitárias, filantrópicas e públicas;

  • Contribuir para que a criança em situação de vulnerabilidade social tenha oportunidades de brincar e aprender, ampliando seu universo cultural, de socializar-se e construir valores positivos, ou seja, de ter uma infância melhor e mais saudável.

Ênfase é dada à promoção do desenvolvimento integral de crianças de 0 até 6 anos de idade, com equidade.

Os passos necessários para a implementação do Programa são:

1°- Constituição do Conselho Local

§ responsável pela “co-gestão” municipal do Programa reunindo parceiros locais representantes do Poder Público (tendo como membro obrigatório a Secretaria Municipal de Educação), de organizações da sociedade civil, iniciativa privada, conselhos municipais, veículos de comunicação, etc.

2°- Instalação da Mesa Educadora

§ espaço físico organizado pedagogicamente onde ocorre a formação permanente em serviço e em rede dos recursos humanos. Apresenta recursos materiais e ferramentas pedagógicas adequados às atividades de formação e supervisão pedagógica. Cada Mesa Educadora é coordenada por uma especialista em Educação infantil atendendo, no mínimo, cinco instituições de Educação Infantil e cumprindo com um programa de formação inicial de 360 horas (presenciais e à distância) ao longo dos primeiros 12 meses. Este espaço permite o atendimento a mais grupos de educadores, o que viabiliza atender, ampliar e otimizar a Mesa Educadora.

3°- Acompanhamento e monitoramento técnico

§ a Equipe Executiva do Programa é responsável pelo acompanhamento e monitoramento sistemático de cada Mesa Educadora e seu respectivo Conselho Local. São realizadas visitas técnicas presenciais e orientação à distância. A Equipe Executiva — responsável pelas decisões gerais do Programa - é composta por especialistas da UNESCO, FMSS e Gerdau.

Responsabilidades dos atores do Programa Fundo do Milênio para a Primeira Infância

O Programa Fundo do Milênio para a Primeira Infância, uma parceria público privada, envolvendo a UNESCO, Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho e Gerdau, ao firmar compromisso com o município se compromete em realizar um investimento inicial, por meio da aquisição dos materiais instrucionais, pedagógicos, fundamentais para a constituição dos cantos temáticos das Mesas Educadoras. O resultado deste investimento está devidamente documentado nas referidas Mesas, através das listagens/notas fiscais das compras efetuadas.

Responsabilidades dos parceiros

UNESCO - Gestão Técnica Pedagógica

a) Integrar a Equipe Executiva do Programa definindo, em comum acordo com os demais co-promotores, ou seja, Gerdau e FMSS, suas diretrizes gerais e questões pertinentes ao processo de implementação visando o alcance dos objetivos;

b) Coordenar o Conselho Consultivo encaminhando à discussão questões pertinentes às estratégias de implementação e disseminação do Programa;

c) Prestar cooperação técnica especializada liderando a Gestão Técnico-Pedagógica e administrativo-financeira do Programa, promovendo: (i) orientação e acompanhamento para a instalação e funcionamento das Mesas Educadoras; (ii) capacitação de seus coordenadores técnicos; (iii) coordenação técnica dos seminários e jornadas de capacitação; (iv) sistematização dos relatórios técnicos e instrumentos de monitoramento; (v) coordenação da elaboração de publicações sobre educação infantil, promovendo a geração e disseminação de conhecimentos na área; (vi) rediscussão da proposta político-pedagógica das instituições de educação infantil integrantes do Programa mediante as diretrizes vigentes para o setor; (vii) execução e acompanhamento dos recursos financeiros de modo a viabilizar todas s as atividades previstas Plano de Trabalho; (viii) organização, atualização e preservação do patrimônio do Programa

d) Utilizar e socializar a experiência acumulada pela UNESCO em educação na primeira infância, fornecendo intercâmbio local, nacional e internacional;

e) Desempenhar papel protagonista na Gestão e Mobilização dos Conselhos Locais nos estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, São Paulo e Minas Gerais, planejando e realizando ações de animação da rede local, encontros de trabalho, participando de eventos e reuniões da comunidade local para o fortalecimento dos Conselhos;

f) Firmar parcerias, em conjunto com os demais co-promotores do Programa, ou seja, Gerdau e FMSS, com os municípios e instituições integrantes do Conselho Local;

g) Promover, em cooperação com a FMSS e Gerdau, a permanente atualização e sistematização da metodologia utilizada no Programa, visando sua consolidação e disseminação;

h) Promover a avaliação do Programa para medir seus resultados e impactos;

i) A UNESCO fornecerá à Gerdau um relatório descritivo anual de progresso, incluindo, ao menos, as principais realizações desde o último relatório, das dificuldades possíveis encontradas e das medidas tomadas ou planejadas, bem como uma avaliação geral da situação do Programa.

j) A UNESCO deverá apresentar um relatório descritivo final relatando os principais resultados do Programa, as lições aprendidas e as conclusões/recomendações para o futuro.

FMSS - Gestão da Comunicação

a) Integrar a equipe executiva do Programa definindo, em comum acordo com os demais co-promotores, suas diretrizes gerais e questões pertinentes ao processo de implementação visando o alcance dos objetivos;

b) Coordenar o Conselho Consultivo encaminhando à discussão questões pertinentes às estratégias de implementação e disseminação do Programa;

c) Liderar a Gestão da Comunicação, em cooperação com a UNESCO, realizando atividades que propiciem visibilidade ao Programa, tais como: (i) doar, sem qualquer ônus, a veiculação de espaço não comercializado pelos veículos RBS à campanha de mídia do Programa Fundo do Milênio, quando houver campanha no período (ii) elaborar boletim eletrônico e informativo; (iii) atualizar o site; (iv) realizar assessoria de imprensa; dentre outras;

d) Desempenhar papel protagonista na Gestão e Mobilização dos Conselhos Locais nos estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, planejando e realizando ações de animação da rede local, encontros de trabalho, participando de eventos e reuniões da comunidade local para o fortalecimento dos Conselhos;

e) Firmar parcerias, em conjunto com os demais co-promotores do Programa, ou seja, UNESCO e Gerdau, com os municípios e instituições integrantes do Conselho Local;

f) Promover a permanente atualização e sistematização da metodologia utilizada no Programa, em cooperação com a UNESCO e Gerdau, visando sua consolidação e disseminação;

g) Contribuir e orientar os Conselhos Locais, nos estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, na captação de recursos provenientes de incentivos fiscais, via Fundos Municipais, apoiando a elaboração de Programas.

Gerdau - Gestão da Captação de Recursos

a) Integrar a equipe executiva do Programa definindo, em comum acordo com os demais co-promotores, UNESCO e FMSS, suas diretrizes gerais e questões pertinentes ao processo de implementação visando o alcance dos objetivos;

b) Coordenar o Conselho Consultivo encaminhando à discussão questões pertinentes às estratégias de implementação e disseminação do Programa;

c) Aportar os recursos financeiros necessários à implementação do Programa, conforme Plano de Trabalho

d) Adquirir os equipamentos e materiais pedagógicos previstos para a instalação das Mesas Educadoras, conforme Plano de Trabalho;

e) Contribuir e orientar os Conselhos Locais, das regiões de sua abrangência, na captação de recursos provenientes de incentivos fiscais, via Fundos Municipais, apoiando a elaboração de Programas;

f) Contribuir para a Gestão de Captação de Recursos para o Fundo do Milênio para a Primeira Infância, em cooperação com a UNESCO, identificando e mobilizando empresas potenciais para aderirem ao Programa. como “Empreendedores do Milênio” por meio da doação de recursos financeiros e/ou materiais;

g) Contribuir na Gestão e Mobilização dos Conselhos Locais, nas regiões de sua abrangência, planejando e realizando ações de animação da rede local, encontros de trabalho, participando de eventos e reuniões da comunidade local para o fortalecimento dos Conselhos.

Equipe Executiva

Responsável pelas decisões gerais do Programa. - é constituída por especialistas da UNESCO no Brasil, da Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho e da Gerdau, além de consultores contratados para apoiar o trabalho realizado em algumas áreas de atuação e investimento do Programa, com as seguintes competências:

· Cooperação técnica especializada promovendo: (i) orientação e acompanhamento para a instalação e funcionamento das Mesas Educadoras; (ii) capacitação de seus coordenadores técnicos; (iii) coordenação técnica dos seminários e jornadas de capacitação; (iv) sistematização dos relatórios técnicos e instrumentos de monitoramento; (v) coordenação da elaboração de publicações sobre educação infantil, promovendo a geração e disseminação de conhecimentos na área; (vi) rediscussão da proposta político-pedagógica das instituições de educação infantil integrantes do Programa mediante as diretrizes vigentes para o setor;

· Acompanhamento na Gestão e Mobilização dos Conselhos Locais nos estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, São Paulo e Minas Gerais, planejando e realizando ações de animação da rede local, encontros de trabalho, participando de eventos e reuniões da comunidade local para o fortalecimento dos Conselhos;

· Acompanhamento e monitoramento sistemático de cada Mesa Educadora e seu respectivo Conselho Local na implantação e implementação de um trabalho em rede;

· Visitas técnicas presenciais e orientação à distância.

· Análise de documentos do Programa;

· Encaminhamentos de novas demandas;

· Fortalecimento de redes constituídas pelos estados participantes (RS, SC, SP e MG);

· Disseminação e divulgação do Programa através da participação em eventos locais, regionais, nacionais, internacionais e na mídia escrita e falada;

Compete à Assessora Técnica do Programa:

Ø Integrar a Equipe Executiva do Programa Fundo do Milênio para a Primeira Infância;

Ø Realizar supervisão sistemática aos municípios participantes do Programa na implementação das Mesas Educadoras, realizando assessoria técnica in loco e à distância;

Ø Apoiar a realização de outras ações locais do Programa, tais como reuniões, capacitações, visitas técnicas, revisão e produção de materiais, etc;

Ø Acompanhar e orientar à distância, em articulação com a equipe executiva local, as ações de implementação do Programa;

Ø Reportar sistematicamente à Coordenadora do Escritório da UNESCO em Porto Alegre e à Assessora Técnica Sênior do Programa, sobre os avanços e entraves na implementação do Programa;

Ø Participar das reuniões de planejamento e acompanhamento técnico da Equipe Executiva do Programa, com especialistas e consultores da UNESCO, representantes da Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho e da Gerdau;

Ø Apropriar-se dos documentos e instrumentos gerenciais do Programa, visando contribuir para a sua atualização e aperfeiçoamento;

Ø Contribuir para a revisão e atualização dos instrumentos gerenciais e pedagógicos do Programa, tais como: Instrumentos de monitoramento e acompanhamento da execução; nova edição dos Cadernos Pedagógicos, manuais, etc;

Ø Implementar a utilização de instrumentos padrão de acompanhamento pedagógico e avaliação sistemática das ações realizadas (por meio da análise e/ou preenchimento de Planilha de Acompanhamento das Ações do Programa, elaboração de relatórios de atividades mensais), provendo orientação inicial e continuada aos colaboradores do Programa nos estados;

Ø Apoiar a elaboração dos relatórios semestrais de cunho técnico e da execução financeira do Programa para apresentação à Gerdau e demais parceiros;

Ø Fornecer subsídios, dados e informações consistentes para a atualização permanente do site do Programa, em Português, especialmente sobre as Mesas Educadoras sob a sua supervisão (www.fundodomilenio.org.br);

Ø Apoiar a organização de eventos relacionados ao Programa;

Ø Participar de reuniões e eventos relacionados à sua área de atuação visando enriquecer o trabalho técnico especializado no âmbito do Programa;

Ø Assessorar a Equipe Executiva do Programa, em estreita articulação com os Escritórios da UNESCO, na elaboração de publicações técnico-científicas para divulgação do Programa em âmbito local, estadual, nacional e internacional;

Ø Realizar mapeamento da situação da educação infantil no estado de sua jurisdição e nos municípios onde o Programa será implementado;

Ø Apoiar a Equipe Executiva na articulação e mobilização dos Conselhos Locais.

2- Responsabilidades da Secretaria Municipal de Educação - SMED

  • Formalizar a sua adesão ao Programa mediante ofício de adesão a ser encaminhado à UNESCO;
  • Ceder se possível, dois (02) Coordenadores Técnicos para o Programa com carga horária não inferior a 20 horas semanais, por coordenador técnico, para cada grupo de educadores em formação;
  • Disponibilizar um local de funcionamento para a Mesa Educadora de, aproximadamente, 70 m2. , distribuídos em ambientes sem paredes ou divisórias como se fosse uma sala de Educação Infantil organizada em cantos temáticos. Tal espaço deve ser organizado, de modo a permitir a transformação dos ambientes, por meio da movimentação do mobiliário, conforme a necessidade de utilização do espaço. Este local deverá ser utilizado, inicialmente pelo período de, no mínimo, 12 meses, com perspectiva de tornar-se patrimônio permanente do município, em local público e de fácil acesso a toda a comunidade;
  • Verificar os materiais existentes na Mesa Educadora, e providenciar, em parceria com o Conselho Local, a reposição dos equipamentos necessários para o ambiente tecnológico, bem como mobiliário para o bom funcionamento da mesma;

· Acompanhar a entrega dos materiais recebidos pela Mesa Educadora, bem como preencher o Termo de Recebimento e de Compromisso, assumindo total responsabilidade pelo recebimento e manutenção do acervo da Mesa Educadora, juntamente com o Conselho Local;

· Garantir em parceria com o Conselho Local, a continuidade do Programa;

· Prover, a Mesa Educadora, dos materiais de consumo e de expediente, garantindo a sustentabilidade da mesma;

  • Zelar, juntamente o Conselho Local, pela boa aplicação dos recursos da Mesa Educadora;
  • Zelar, em conjunto com o Conselho Local, pelo alcance dos objetivos do Programa;
  • Participar na constituição do Conselho Local;
  • Garantir a participação dos Coordenadores Técnicos da Mesa Educadora nos encontros de formação organizados pela Equipe Executiva do Programa e/ou pela Assessoria Técnica dos respectivos estados;
  • Viabilizar o deslocamento dos profissionais das instituições de educação infantil, para os encontros semanais de formação;
  • Viabilizar o deslocamento, a estadia, a alimentação e o tempo necessário as coordenadoras técnicas, quando forem convidadas pelo Programa a comparecer a encontros de formação.
  • Verificar a possibilidade de incorporar a proposta pedagógica do Fundo do Milênio à proposta pedagógica da SME.
  • Fornecer material de expediente e de consumo para a Mesa Educadora, além de garantir infra-estrutura em termos de: (i) ambiente tecnológico: computador com acesso à internet, impressora, DVD e câmara digital; (ii) ambiente para o trabalho gerencial: armários com chave, telefone ou linha secundária, quadro mural, materiais de copa e cozinha.

Compete à Coordenadora Técnica do Programa:

Ø Fazer o fichamento de todo o material disponível na Mesa, para controle de sua retirada e retorno;

Ø Organizar o espaço físico da Mesa Educadora, bem como realizar tombamento dos materiais existentes e necessários em termos de reposição;

Ø Participar ativamente do Conselho Local envolvendo-o nas ações desenvolvidas pela Mesa Educadora;

Ø Contatar as Instituições de Educação Infantil (IEIs) para realização de diagnóstico da realidade, coleta de dados, mapeamento cultural, conforme ficha de Coleta de Dados;

Ø Elaborar Plano de Ação a partir dos dados de realidade, conforme metodologia proposta para a Mesa Educadora;

Ø Manter interface com a Equipe Executiva do Programa, acompanhando as visitas de supervisão, as reuniões com o Conselho Local e participando das Jornadas e Seminários de Capacitação e/ou integração e Encontros de Coordenadoras Técnicas;

Ø Enviar relatórios, registros, relatos de atividades e materiais de produção do grupo da Mesa Educadora, quando solicitado;

Ø Planejar e coordenar as atividades propostas, envolvendo e respeitando as diferenças e valorizando a participação de todos durante o processo;

Ø Dinamizar o trabalho das Mesas Educadoras com visitas de observação às IEIs, passeios guiados, visitas orientadas ao museu e teatro e participação em encontros, seminários e eventos promovidos pelo Município ou proximidades;

Ø Aproveitar os cantos temáticos/materiais da Mesa para promover dinâmicas, vivências, dramatizações, diferentes produções e problematização nas rodas de conversa, com vistas a possibilitar mudanças na Instituição;

Ø Supervisionar e acompanhar as IEIs, elaborando relatórios, fichas de observação ou de atendimento e orientação;

Ø Realimentar e avaliar o trabalho, periodicamente, através da reflexão avaliativa do grupo;

Ø Registrar os diferentes momentos de trabalho na Mesa Educadora, através de memória, falas, filmes e fotos, buscando divulgar as atividades desenvolvidas;

Ø Incentivar o registro e a troca de experiências das educadoras através da participação em fórum pelo site do Programa Fundo do Milênio para a Primeira Infância e/ou publicações;

Ø Implementar o programa de atividades à distância, promovendo, acompanhando e subsidiando os grupos na elaboração, execução e nos relatórios dos Programas Pedagógicos desenvolvidos nas Instituições onde atuam;

Ø Acompanhar a freqüência e assiduidade dos participantes da Mesa Educadora, procurando solucionar os casos de evasão ou faltas;

Ø Elaborar a memória da Mesa enriquecida por fotos e depoimentos dos participantes das Mesas Educadoras, bem como dos representantes das Instituições onde atuam;

Ø Conferir todo material pedagógico que chega à Mesa Educadora, juntamente com representante legal do Conselho Local e SMED e dar retorno para UNESCO - quantidade e estado de funcionamento dos materiais/equipamentos, no prazo de até 20 dias, o que permitirá a troca do produto com defeito. A não comunicação dentro do prazo implica responsabilidade da Secretaria Municipal de Educação e Conselho Local.

Ø Registrar e monitorar todo o material que for emprestado às Creches com a concordância da SMED. O material que for extraviado ou perdido, por falta de cuidado, a sua reposição será de responsabilidade da SMED;

Ø Trabalhar em equipe e em rede, de acordo com a proposta do Programa.

3- Responsabilidades do Conselho Local

Responsável pela “co-gestão” municipal é constituído por parceiros locais e representantes do poder público, organizações da sociedade civil, iniciativa privada, Conselhos Municipais, veículos de comunicação, entre outros. O Conselho Local sensibiliza, mobiliza e articula diversos segmentos da sociedade local, de modo a viabilizar e qualificar o funcionamento da Mesa Educadora na sua auto-sustentabilidade e na promoção da melhoria da qualidade da Educação Infantil no município.

O Conselho Local é uma instância consultiva com o objetivo de apoiar a implantação e a manutenção da Mesa Educadora no seu município. A ação do Conselho é fundamental para mobilizar e viabilizar as atividades propostas pela Mesa Educadora.

Portanto, entendemos como atribuição do Conselho Local:

· Atender ao que determina o Regimento do Conselho Local – Programa Fundo do Milênio para a Primeira Infância, em termos de atribuições;

· Verificar os materiais existentes na Mesa Educadora, e providenciar, em parceria com a SMED, a reposição dos equipamentos necessários para o ambiente tecnológico, bem como mobiliário para o bom funcionamento da mesma;

· Providenciar, juntamente com a Coordenadora Técnica, o preenchimento, assinatura e arquivamento das Declarações de Adesão do Conselho Local e Instituições de Educação Infantil;

· Acompanhar a entrega dos materiais recebidos pela Mesa Educadora, bem como preencher o Termo de Recebimento e de Compromisso, assumindo total responsabilidade pelo recebimento e manutenção do acervo da Mesa Educadora, juntamente com a SMED.

· Participar do Plano de Ação proposto pela Mesa Educadora na formação dando suporte às ações previstas, mobilizando recursos e parcerias;

· Buscar novas parcerias para viabilizar ações culturais e de formação dos educadores, fora do espaço da Mesa, de acordo com as demandas da coordenadora técnica;

· Garantir em parceria com a SMED, a continuidade do Programa;

· Ter o comprometimento de todos os representantes do Conselho Local com relação às ações desencadeadas pela Mesa Educadora, mediante ofício de indicação, expedido pela instituição que representam e entregue ao representante legal;

· Apresentar disponibilidade de tempo para apoiar as ações da Mesa Educadora e IEIs envolvidas no Programa;

· Zelar, juntamente com a SMED, pela boa aplicação dos recursos da Mesa Educadora Local

· Zelar, em conjunto com a SMED, pelo alcance dos objetivos do Programa

· Viabilizar/articular, em parceria com a SMED, a municipalização da Mesa Educadora de modo a torná-la patrimônio público municipal.

· Conferir juntamente com a SMED, todo material pedagógico que chega à Mesa Educadora e dar retorno para UNESCO - quantidade e estado de funcionamento dos materiais/equipamentos, no prazo de até 20 dias, o que permitirá a troca do produto com defeito. A não comunicação dentro do prazo implica em responsabilidade da SMED e Conselho Local;

· Registrar e monitorar todo o material que for emprestado às IEIs com a concordância da SMED. O material que for extraviado ou perdido, por falta de cuidado, a sua reposição, será de responsabilidades da SMED;

· Casos omissos serão resolvidos pela Equipe Executiva do Programa

4- Responsabilidades das Instituições

· Comprometer-se em participar do Programa, nas propostas por ele definidas;

· Garantir a participação do dirigente da instituição, bem como de seus profissionais na formação permanente em serviço;

· Incentivar a permanência, do educador participante da Mesa Educadora, pelo menos no período da formação em serviço (inicial, de 12 meses) formando parceria nos Programas pedagógicos que contribuam para a qualificação do atendimento na mesma;

· Garantir freqüência mínima de 80% das atividades propostas pela Mesa Educadora, naquilo que lhe compete;

· Comprometer-se com uma participação transparente, oferecendo informações verdadeiras sobre sua realidade institucional e permitindo visitas técnicas do Programa;

· Fornecer as informações requeridas pela Mesa Educadora, que possam contribuir para a qualificação do trabalho realizado na mesma;

· Colaborar com as atividades que envolvam o processo de avaliação do Programa;

· Facilitar as iniciativas das educadoras em termos de novas atividades e/ou Programas pedagógicos para a Instituição;

· Incentivar e divulgar os Programas e propostas de trabalho da Mesa Educadora.


O Conselho Local da Mesa Educadora de Sapucaia do Sul compõe-se de:
- Conselho Municipal de Educação: Laura Correia
- Empresa Gerdau: Silveth dos Santos Lima
- Faculdades Equipe: Adrana Chilante de Paula
- Parceiros Voluntários: Patrícia Brum Pacheco
- ACIS: José Carlos Gorth
- CONDICA: Luciano F.O Rambo
- Lions: Edite Maria Martins da Rosa
- SMEC: Diretora da Educação Infantil - Angêla Schenatto e a Coordenadora da Educação Infantil - Mirian Mattos dos Santos

Read more...